Sílvia Mota Lopes

Natural de Braga, onde nasceu em 1970.

Poeta, pintora, ilustradora, autora de literatura infantil e juvenil.

Editou:

Alícia no Bosque (texto e ilustração), 2012

Ser dia e Noite Ser (texto), 2013

A magia de Auris (ilustração), 2013

Chegaste primeiro (ilustração), 2014

É Aqui que Ela Mora, (texto), 2015

“O cavalinho que queria saber a que cheira a primavera”, (ilustração), 2015

“Pássaro de Mil Cores” (autora do libreto da ópera infantil), 2016

“Esboço”(poesia), 2017

“Aqui há gato” (ilustração), 2017

“Estrela Watoto” (ilustração), 2017

“Quando Somos Nuvens” (ilustração), 2018

“Dar Corda às Palavras” (texto), 2018

“Passei Como Um Sussurro para que escutasses o Vento” (poesia), 2019

 “ Amor Puro” (ilustração) 2020

Exposições:

Mito. Sonho. Realidade, Casa dos Crivos, Braga, 1994

Mito. Sonho. Realidade, Casa da Cultura, Póvoa de Lanhoso, 1995

Mito. Sonho. Realidade, Barcelos, 1995

Mito. Sonho. Realidade, Galeria Muralha, Guimarães, 1996

Alícia no Bosque, Livraria Centésima Página, Braga, 2011

Pinto Palavras, Livraria Centésima Página, Braga, 2014

Ponte de Lima e as suas Lendas, Biblioteca Municipal, Ponte de Lima, 2015

 

Participou em diversas exposições coletivas e organizou duas exposições de solidariedade social.

É ilustradora solidária da associação Ajudaris.