Abel Júpiter

Abel Júpiter Tchong Freitas da Silva

Natural de Baucau – Timor Lorosae.

Viveu toda a sua infância em Timor, durante a ocupação indonésia.

Aos 19 anos, deixou Timor com destino a Jacarta, onde permaneceu durante 5 meses, seguindo depois clandestinamente para Macau.

Em Macau, estudou e trabalhou até Agosto de 1998, ano em que veio para Portugal. Licenciou-se em Ciência Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O seu gosto pela pintura manifestou-se desde pequeno. Em Timor, dada a situação vivida, nunca teve oportunidade de pintar seriamente, mas também nunca deixou de se interessar pela pintura, procurando sempre aprender, pintando de tela para tela sempre que possível.

Quando pinta, é fiel a si mesmo, deixa que as coisas aconteçam, pois acredita que cada pintor tem dentro de si algo que funciona de acordo com as suas necessidades. Na sua pintura, procura retratar pessoas simples do campo, pelas quais tem uma grande admiração e respeito, combinando-os com os espaços rurais onde passou a sua infância.

Tem representado Timor Lorosae em várias exposições nacionais e internacionais, destacam-se os seguintes:

– “Arte Timorense” no Museu do Oriente em Lisboa – 2010;

– Fundação Medeiros e Almeida “Semana Cultural da CPLP” em Lisboa – 2010;

– “Bienal de Culturas Lusófonas de 2011, 2013, 2015 e 2017” – promovido pela Câmara Municipal de Odivelas;

– Casa Museu em Macau – Arte Contemporânea dos Países de Língua Portuguesa no âmbito da 5ª Semana Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Taipa – Macau) – 2013;

– Galeria de Arte do Casino Estoril – Artistas dos Países Lusófonos – 2013;

– 1ª Edição da Exposição da Lusofonia, no Clube Militar em Macau – 2015.

– Exposição Coletiva “Reencontro” na Casa da Cultura Lívio de Morais – 2020 – com alguns dos grandes pintores conceituados como Artur Bual, Carybé (Hector Bernabó) David Levi Lima, José Pádua, Lívio de Morais, Malangatana, Paulo Ossião e entre outros.